Tiago Tartari

Microsoft .NET 7 consome menos memória e CPU que o .NET 6

Ao atualizar para o .NET 7 notamos diminuição do consumo de memória e CPU que garantiu mais requisições por segundo em um e-commerce.

Com foco em performance o .NET cada vez mais vem conquistando espaço. Já considerado como um dos cinco frameworks mais performáticos, o .NET 7 já é considerado 11x mais rápido que o NodeJs, além disso, o engajamento da comunidade para torná-lo ainda mais performático trouxe mais de 1000 pull requests nesse tema.

Não utilize GC.Collect a menos que saiba o que esteja fazendo

Se você tem problemas de performance em suas aplicações .NET, certifique-se não estar utilizando o GC.Collect para “liberar” espaço em memória.

Problemas de performance em aplicações .NET geralmente são ocasionadas por descuidos que facilmente seriam contornados com um entendimento claro e prático de aspectos como Garbage Collector.

Como medir a experiência do cliente com APDEX?

Ao tratar de tecnologia como parte integrante do negócio, o foco é aprimorar a boa experiência do cliente.

Nesse sentido, não basta fazer de conta que está tudo bem, afinal, métricas não podem ser medidas pela vaidade.

Como inspecionar um IEnumerable em runtime no .net c#?

Ferramentas que ajudam na produtividade são essenciais no dia a dia de um desenvolvedor. Agora, o Visual Studio conta com o IEnumerable Debugger Visualizer melhorando a experiência do desenvolvedor e possibilitando de forma rápida a visualização dos objetos dentro de uma lista, além de permitir exportar esse objeto para o Excel.

Software, mesmo que legado, necessita ser mantido

O processo para modernização de um software deve fazer parte do plano estratégico da empresa, não do ponto de vista de “como fazer” mas do “porquê fazer” e quais são os objetivos de negócios a ser alcançados. Certamente, quando alguns indicadores começam a ser impactados por tecnologia, por exemplo, custo operacional, talvez seja a hora de pensar em modernização.

K6.io, Grafana e InfluxDb é a melhor stack para stress test

Plataformas digitais estão sendo lançadas cada vez mais em produção, entender o comportamento da aplicação é primordial pensando na boa experiência do cliente. Para isso, um bom stress test pode dar a visão se está de fato pronto ou ajustes ainda precisarão ser feitos.

A stack K6, Grafana e InfluxDb contribui para atender atributos de qualidade que seu software tanto necessita, resiliency, scalability, security e observability são os atributos de qualidade mais comuns ao observar em um stress test.

Modernizar software não está baseado em suposições

O processo para modernização de software tem exigências. Resolver dores, resolver problemas que geralmente impedem o negócio crescer.

Por isso, não deve estar baseado em suposições. Também não deve estar orientadas em modismos da tecnologia.

Engenharia do Caos com Azure Chaos Studio

Engenharia do Caos com Azure Chaos Studio

Engenharia do Caos com Azure Chaos Studio Aplicar a Engenharia do Caos com Azure Chaos Studio é o que todo SRE precisa sempre que houver a necessidade de testar a confiabilidade da sua plataforma. Agora você pode introduzir falhas, engenharia do caos, em produção, prevendo que falhas prejudiquem a experiência do seu cliente. Nesse sentido,… Continuar lendo Engenharia do Caos com Azure Chaos Studio

A simplicidade do TryGet Pattern

A simplicidade do TryGet Pattern

A simplicidade do TryGet Pattern Com a simplicidade do TryGet Pattern, torna um código mais claro e que garante que ao menos um atributo de qualidade seja alcançado, o atributo testability. Além disso, tem a garantia que eventuais exceptions sejam lançadas por descuidos de desenvolvedores que se esquecem de fazer defensivas de código. Talvez, você… Continuar lendo A simplicidade do TryGet Pattern

Métricas que ajudam – Os Quatro Sinais de Ouro

Times de produtos muitas vezes priorizam a entrega do valor em produção, enquanto times de operação priorizam a estabilidade.

Há uma quebra de braços para pedir quem tem mais força, nesse sentido, métricas importantes que precisam ter foco, são negligenciadas ou esquecidas.

Para cenários como este, ter os quatro sinais de ouro como métrica padrão, ajudará a trazer confiabilidade para o serviço, software ou plataforma.